Sapeco da erva-mate: Conheça as formas mais eficientes

5 mar, 2021 | Fornalha, Informações | 0 Comentários

O consumo de erva-mate tem uma tradição milenar. Mas, os setores produtivos dentro do setor ervateiro se desenvolveram ao longo dos séculos, tanto que hoje o processo de pré-secagem, também conhecido como sapeco da erva mate, evoluiu muito.

O sapeco da erva-mate deve ser realizado da forma mais rápida possível, logo após a colheita. Por isso, muitas empresas adotam secadores mecânicos apropriados, conhecidos como sapecadores, que aumentam a eficiência e a qualidade do produto.

Entenda o que é o sapeco da erva-mate, o princípio do processo e os tipos de sapecadores mais utilizados. 

 

Plantio e processamento da erva-mate: Entenda mais sobre os processos

De modo geral, a erva-mate é sempre plantada em meio à floresta, dentro de um sistema de cultivo conhecido como agroflorestal.

Em um primeiro momento as mudas são geralmente fecundadas em viveiros específicos, e vão para o plantio nas propriedades quando os lotes já estão com tamanho aproximado de 10 a 15 cm. 

Ao atingir o quarto ano, a planta atinge o estado maduro. Nesse momento, é chegada a hora da primeira colheita, realizada com facões ou serras e a ajuda dos chamados “tarefeiros”. Assim que colhidas, as plantas são conduzidas para a indústria.

Ao chegar na indústria, as folhas são colocadas na entrada do sapecador de forma manual ou por esteiras, iniciando o processo propriamente dito de sapeco da erva-mate.

 

Sapeco da erva-mate: Por que esse processo é tão importante?

Assim que são colhidas, as folhas de erva-mate iniciam um processo de deterioração natural, que ocorre logo após a poda. Ela está associada à ação das enzimas peroxidase e polifenoloxidase presentes nas folhas. 

Estas enzimas catalisam reações de oxidação de compostos fenólicos, causando mudança na cor das folhas, principalmente quando há murchamento ou incidência de luz solar e calor sobre elas.

Para controlar este processo de escurecimento enzimático há a necessidade de reduzir a atividade das enzimas. Para acelerar esse processo, a indústria ervateira usa o sapeco da erva-mate como forma de controle da reação de escurecimento. 

A alta temperatura é empregada nesse processo, pois o produto é exposto diretamente à chama e ao calor, fazendo um branqueamento térmico das folhas de forma similar ao empregado em outros produtos vegetais. 

Como principal benefício, o sapeco fará com que a erva-mate, mesmo após secada, preserve o aroma suave e seivado. Também ajuda que a mesma mantenha a coloração esverdeada.

 

Processos de sapeco da erva-mate: Como funciona?

O processo de sapeco segue os princípios praticados pelos indígenas. Nele, a erva-mate é exposta ao calor direto da chama obtida com a combustão de madeira (lenha em toras).

Mas, mesmo que o princípio do processo tenha se mantido ao longo dos anos, a forma de execução e equipamentos empregados evoluiu.

Hoje em dia, o sapeco da erva-mate ocorre por meio de equipamentos mecânicos eficientes, consistindo em um cilindro metálico giratório, com uma média de diâmetro de 1,8 a 2,4 m e um comprimento de 6 a 9 m.

A carga é feita em uma das extremidades do equipamento sapecador, manualmente ou por esteira. A erva passa dentro do cilindro, recebendo chamas geradas por uma fornalha, saindo sapecada.

A erva se move ao longo do sapecador em função de algumas variáveis, caso da inclinação do cilindro, das aletas no interior, e do arraste dos gases de combustão. As aletas, dispostas na parte interna, facilitam o transporte do material vegetal.

 

Sapeco com Fornalhas IMTAB

A IMTAB, foi a pioneira no Brasil ao desenvolver uma fornalha para a queima de biomassa picada (cavaco) para o sapeco da erva-mate. 

Para a aplicação da fornalha, a IMTAB contou com a parceria de ervateiras. Hoje, são mais de 20 equipamentos em funcionamento. 

 

A fornalha IMTAB no processo de sapeco

É essencial saber que, para o que o sapeco tenha qualidade é necessário que possua uma chama constante passando entre as folhas durante o processo. 

Porém, quando o abastecimento de lenha em toras é manual, a qualidade é comprometida por conta dessa alimentação não ser constante, ocasionando assim, variações no produto.

Outro problema que podemos citar quando não se tem um equipamento qualificado é a formação de Hidrocarbonetos Policíclicos Aromáticos (HPA,s). Ele ocorre por conta da baixa temperatura de combustão.

Com as Fornalhas IMTAB é possível trabalhar com uma variação de temperatura menor que 10°. O equipamento possibilita que a temperatura seja uniforme, padronizando a qualidade do sapeco e, evita assim, a liberação dos HPA,s já que a fornalha opera com temperaturas estáveis e elevadas.

 

Tipos de processos associados ao sapeco de erva-mate

Três são os processos básicos:

O primeiro é o manual, que está em desuso. Neste processo, a colheita era realizada para obter galhos de maior dimensão, permitindo o sapeco manual, feito com o operador atrás de uma “murada” de troncos e os galhos de erva-mate expostos diretamente à chama de uma fogueira.

O segundo é o “mecanizado”. Nele, a erva-mate passa por um “cilindro” (tronco de cone) giratório, feito com chapas perfuradas ou tela. Uma fogueira é feita sob o corpo do equipamento, onde a erva mate verde entra em contato com as chamas.

Um terceiro processo, mais “moderno”, é o tenificado. Nele, a erva é transportada até a entrada do sapecador, caracterizado como um cilindro giratório. Dentro do equipamento, passa pela chama da fornalha, movendo-se ao longo do cilindro e saindo na extremidade oposta à erva sapecada.

Por fim, os sapecadores são equipamentos simples e de fácil operação, além de terem grande importância para a produção de erva-mate de excelente qualidade.

Quer saber mais? Então veja dicas para otimizar a secagem de fertilizantes na sua indústria.

 

0 comentários

Enviar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

ASSINE NOSSA NEWSLETTER

12 + 5 =

Aquecedor de fluido térmico: Entenda a importância da manutenção

Em vários processos que ocorrem dentro de uma indústria, o uso de fluidos aquecidos é uma necessidade comum. Para isso, ter um aquecedor de fluido térmico é uma demanda recorrente. Continuamente utilizado em processos industriais, o aquecedor de fluido térmico ganha...

Entenda a diferença entre fornalha de gás quente e fornalha pirolítica

Em muitos processos industriais, a secagem é uma das etapas relacionadas ao pré-processamento de maior importância, tendo a finalidade de retirar excesso de umidade de produtos. No caso da secagem artificial, regularmente a indústria pode usar uma fornalha de gás...

Confira 6 curiosidades sobre a biomassa que você deve conhecer

A busca pela sustentabilidade energética está guiando o desenvolvimento de estratégias em muitos países. Estas nações estão substituindo os combustíveis fósseis por fontes energéticas renováveis, caso da biomassa. Cada vez mais utilizada em caldeiras, a biomassa é...

Como reduzir custos operacionais utilizando energia renovável?

Nos últimos 2 anos a crise mundial tem sido a causa de entraves em muitos setores da economia brasileira, principalmente na área industrial, que sofreu com a elevação de custos de energia elétrica. Mas você sabia que a atual crise pode ser a alavanca para otimizar...

Saiba porque é importante realizar a inspeção em tijolos refratários

Você sabe o que é ou já trabalhou com tijolos refratários? Estes tipos de tijolos têm como principal característica a resistência e a retenção de altas temperaturas, sendo por isso utilizados em muitas fornalhas utilizadas dentro do ambiente industrial. Assim, os...

Saiba mais sobre o aquecedor de fluido térmico com aquecimento direto e indireto

Fluidos térmicos são compostos utilizados em inúmeras etapas e processos dentro da indústria. Eles podem ser fabricados de diversos tipos de materiais, dependendo da finalidade de uso. Mas, para que os fluidos atinjam a temperatura desejada, o aquecedor de fluido...

Principais vantagens do aquecedor de fluido térmico que você deve conhecer

O aquecedor é apenas uma parte de um circuito fechado de um sistema de fluido térmico. Neste sistema, um fluido específico (óleo) recebe energia térmica em um aquecedor e consequentemente tem sua temperatura elevada. Esse fluido é bombeado para os pontos de...

Entenda a aplicação da fornalha na torrefação do café

O Brasil é mundialmente conhecido como o maior produtor mundial de café. A produção cafeeira no ano de 2020 foi estimada em 63,08 milhões de sacas colhidas, segundo dados da CONAB. Além disso, temos cerca de 1,5 mil empresas atuam na torrefação do café brasileiro,...

Aquecedor de fluido térmico: Entenda para que serve esse equipamento

Amplamente utilizado em processos industriais que requerem alta temperatura, o aquecedor de fluido térmico é um equipamento que ganha cada vez mais notoriedade em muitas indústrias. Basicamente, este equipamento é o coração de um sistema de aquecimento de fluido...

Substituição de gás natural por biomassa: Entenda porque fazer

Muitas empresas já optaram por realizar a substituição da matriz energética, deixando o gás natural para o lado e começando a fazer uso da biomassa na sua geração energética.  Mas quais são essas razões? Por que a empresa deve optar pela biomassa em substituição ao...

Acompanhe-nos nas redes sociais!